Sinopse - "Virgílio é um engenheiro carioca, entediado, taciturno, que nunca amou ninguém e tem na restauração das antigas fazendas de café a sua única paixão. Ao estar prestes a adquirir mais um imóvel para ser restaurado, ele se depara com um quadro cuja figura, até então sem nome, lhe assombrava os sonhos : Olympia, filha de um barão, em um quadro do século XIX. O olhar azulado da moça o atrai de uma maneira obsessiva e aos poucos ele se envolve numa trama cada vez mais absurda, com joias misteriosas e uma inusitada carta. Ao tentar descobrir o que as linhas amareladas escondem, Virgílio se encontra em um emaranhado de artimanhas e chantagens, amor e ódio, onde o ontem e o amanhã se confundem durante um cruzeiro pelo Atlântico no ano de 1873 e o poder da luz sobre as sombras surge nos lugares, nas pessoas e nas atitudes mais improváveis."
"Luz e Sombra" é uma belíssima história escrita pela autora Anaté Merger. A história é narrada em terceira pessoa e é dividida em partes, sendo que a primeira se passa em 2016.

Virgílio é um engenheiro que tem sonhos constantes com uma mulher desconhecida. Sonhos esses que deixam claro que os dois tem uma forte conexão, mas que termina sempre em um sobressalto.
"Ao olhar nos olhos escuros e profundos de Virgílio e sentir a sua boca contra a sua, ela

soube que nada mais poderia separá-los.
Nem mesmo a sua irmã.
Nem mesmo a morte.
Nem mesmo o tempo." (p. 05)
Virgílio é um homem de 27 anos, que após o pai ter tido um AVC, mergulhou de cabeça na Lopes de Macedo Empreendimentos. É um homem frio que não demonstra suas emoções em momento algum e tem um relacionamento vai e volta com Clara, uma atriz de 25 anos de idade. Alguns meses antes, Virgílio sofreu um acidente e Clara esteve ao seu lado durante a recuperação. Fato que ela não deixa de ressaltar e cobrar constantemente. Clara é fútil, mimada e egocêntrica, mas para Virgílio é uma boa situação, pois da parte dele não tem apego emocional.
"— Você está vendo isso, Virgílio? Todos os homens presentes não conseguem tirar os olhosde mim, eles me acham deliciosa... Mas você... — Ela apontou para ele em um movimento tosco. — Você! É o único que não me enxerga, parece que uma parte sua foi destruída naquele maldito acidente. A parte que me amava! Por que, Virgílio, por que você não consegue me amar? Por quê?" (p. 14)
Os dois vão passar um final de semana no Vale do Café, para visitar a Fazenda Inocência, da Sra Marie Clément, uma senhora que perdeu o marido recentemente e que pretende voltar à França, pois não tem herdeiros ou motivos para permanecer no Brasil. Mas ela não quer vender a fazenda para qualquer um. A Sra Marie Clément quer que o próximo dono seja alguém que compreenda a riqueza histórica do local e queira preservá-la.

Virgílio fica instantaneamente apaixonado pelo local, mas fica ainda mais deslumbrado quando encontra um quadro da mulher dos seus sonhos.
"Virgílio passou as mãos nos cabelos desalinhados e levantou os olhos deixando-os percorrerem os lençóis imaculados, o espaldar alto da cama em madeira escura e o papel de parede floral até chegarem ao quadro do século XIX. O seu corpo inteiro vacilou ao pousar os olhos sobre o olhar azulado que faiscava em sua direção e naquele momento ele teve certeza de que aquele rosto de porcelana protegido por um leque olhava para ele. Apenas para ele. Um olhar que o envolveu em uma aura de bem-estar como se braços invisíveis se apoderassem dele em uma carícia indescritível." (p. 06)
Algumas situações inexplicáveis começam a aparecer e evidências de que Virgílio conheceu Olympia Antunes (a mulher do quadro) são reforçadas. E ao investigar as possibilidades, Virgílio é levado para outra época e irá se envolver em um relacionamento fraternal repleto de raiva, intrigas, manipulações e mentiras.

É nesse momento que o leitor é levado para a Segunda Parte do livro, que se passa em 1873 e observamos em primeira mão o que aconteceu entre Olympia e Virgílio.

O livro é repleto de personagens maravilhosos, como Augusto, Helena, Severa e até mesmo Olívia. Cada um deles tem um papel a desempenhar na história e sua presença é primordial para a coesão do enredo. A escrita da autora Anaté Merger é delicada, sensível e repleta de sentimentos, fazendo com que o leitor se conecte ainda mais com essa linda história de Virgílio e Olympia.

"Luz e sombra" é uma extraordinária história de amor que atravessa o tempo e comprova que, quando o amor é verdadeiro, ele é atemporal. 
"Virgílio caiu de joelhos, cobriu o rosto com as mãos e se rendeu à evidência. Ele não poderia, não queria, não suportaria mais resistir à voz que gritava em alto e bom som que ele estava apaixonado. Apaixonado por um fantasma..." (p. 06)



Para comprar o livro pela Amazon, acesse: http://amzn.to/2uRtFCX 

9 Comentários

  1. Carolina!
    Gosto demais dos enredos que trazem viagem no tempo, ainda mais se forem romances, porque acabamos vivenciando uma época anterior, onde toda sociedade era diferente.
    Fiquei curiosa em saber mais sobre a mulher do retrato e como vão acabar se envolvendo ou como ele retornará no tempo para reencontrá-la...
    Bom final de semana!
    “Ciência é conhecimento organizado. Sabedoria é vida organizada.” (Immanuel Kant)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JULHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Carol.
    Amei a ideia do livro e estou super curiosa para conhecer essa história!
    Já na lista de desejados!
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  3. Carolina do céu! Que ideia bacana essa do autor, já incluí esse livro na minha listinha de leituras até o fim do ano.

    Como não amar esse blog, gente?! Você faz resenhas ótimas, e nessa especialmente você arrasou. De fato, se o amor for leal, profundo, verdadeiro como você disse, não há barreiras do tempo, é atemporal e, eu diria mais, incondicional!

    Resenha top! Curti! Dieison Engroff.

    ResponderExcluir
  4. Olá !!
    Adoro histórias em que o amor rompe as barreiras do tempo ♡♡

    Esse livro parece ser bem amorzinho e ao mesmo tempo intenso e envolvente !!
    Já quero!
    Adorei a indicação !
    Bjo

    ResponderExcluir
  5. Olá! Achei super interessante essa divisão no enredo com tempos diferentes, super curiosa para descobrir mais sobre essa mulher do quadro, ótimo conhecer mais uma autora nacional, com um livro tão envolvente.

    ResponderExcluir
  6. Gostei da capa; muito bonita, também me interessou a sinopse. Há algum tempo não leio romances, mas fiquei curiosa. Vou procurar para ler ;-)
    Bj, Aris.
    já li alguns dos livros de Joe Hill e gostei bastante. O mais recente, que ainda não terminei de ler, é Nosferatu. Não sabia desse que você resenhou. Vou procurar e ler ^.^
    Bj, Aris.
    https://arismeire.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi, Carol!!
    Amei a premissa da estória, gosto bastante quando no livro tem a possibilidade do personagem viajar no tempo!! Fiquei apaixonada pela estória!!
    Bjoss

    ResponderExcluir
  8. oie gostei bastante da resenha e do contexto achei bem interessnate haha ja adicionei na lista to ansiosa para ler hehe
    beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi Carol, muito obrigada pela bela resenha, amei cada palavra. :-)

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.