Sinopse - Mais um instigante thriller psicológico da mesma autora de A Garota Perfeita, best-seller do The New York Times Todos os dias, a humanitária Heidi pega o trem suspenso de Chicago e se dirige ao trabalho, uma ONG que atende refugiados e pessoas com dificuldades. Em uma dessas viagens diárias ela se compadece de uma adolescente, que vive zanzando pelas estações com um bebê. É fato que as duas vivem nas ruas e estão sofrendo com a fome, a umidade e o frio intenso que castigam Chicago. Num ímpeto, Heidi resolve acolher Willow, a garota, e Ruby, a criança, em sua casa, provocando incômodo em seu marido e sua filha pré-adolescente. Arredia e taciturna, Willow não se abre e parece esconder algo sério ou estar fugindo de alguém. Mas Heidi segue alheia ao perigo de abrigar uma total estranha em casa. Porém Chris, seu marido, e Zoe, sua filha, têm plena convicção de que Willow é um foco de problemas e se mantêm alertas. Em um crescente de tensão, capítulo após capítulo a verdade é revelada e o leitor irá descobrir quem tem razão.

"A desconhecida" é um thriller arrepiante, onde os protagonistas são pessoas quebradas que passaram por situações terríveis. A história é narrada em primeira pessoa e os capítulos alternam entre Heidi, Willow e Chris.

Conforme a sinopse explica, Heidi trabalha em uma ONG em Chicago e diariamente pega o trem para chegar ao trabalho. Um dia, ela avista uma jovem carregando um bebê em seu colo. Fica claro que ela mora nas ruas e sua situação mexe muito com Heidi.
"Sorrir não é algo que a garota faça naturalmente. Eu a comparo com Zoe e sei que é mai velha. O desespero em seus olhos, por um lado, a falta da vulnerabilidade evidente de Zoe, por outro. E claro, há a bebê." (p. 12)
Em casa, Heidi tem uma filha de 12 anos de idade, a Zoe, que está passando pela fase de afastamento dos pais. Zoe já não faz questão de fazer atividades com os pais, principalmente com a mãe. Chris, passa mais tempo viajando do que em casa por conta do trabalho e o casamento dos dois começa a apresentar rachaduras.

Após ver Willow e sua filha Ruby novamente, Heidi toma a decisão impulsiva e unilateral de levar as duas para casa, alterando profundamente a dinâmica familiar.

O que percebemos desde o princípio é que Heidi sente-se sozinha na própria casa. O marido quase não está presente, a filha não quer sua atenção e Heidi, que sempre desejou uma família grande e amorosa, sente-se completamente solitária.
"É mais comum eu não estar lá do que estar, tem sido assim desde que começamos a namorar. Heidi está acostumada com minha ausência. Como dizem: a ausência faz crescer a saudade."
Para Chris e Zoe, a presença de Willow e Ruby não é bem-vinda. A garota é taciturna e até mesmo um pouco assustadora e ambos sentem-se desconfortáveis na própria casa.

Os capítulos narrados por Willow apresentam a história da jovem e toda a sua trajetória no sistema de adoção. São histórias aterrorizantes, onde vemos como o sistema cria vítimas por conta de sua negligência. 
"E, além disso, Joseph disse que ninguém acreditaria em mim. Ninguém. Era a palavra dele contra a minha. E eu era uma criança. Uma criança que ninguém queria - ninguém -, só ele e Miriam."
"A desconhecida" é um livro espetacular, pois aborda temas de grande impacto social e de forma visceral. 
"Descubro que mais de mil crianças morrem por ano, em nosso país, vítimas de abuso ou negligência por parte de seus cuidadores. Mais de três milhões de abusos infantis são comunicados a cada ano por professores, autoridades locais, amigos da família, vizinhos ou por onipresentes telefonemas anônimos que o serviço de proteção à criança recebe. O abuso infantil pode resultar em danos físicos: hematomas e fraturas, suturas, danos à medula, ao cérebro, pescoço, queimaduras de segundo e terceiro graus. Com relação ao estado emocional, o abuso também é prejudicial, levando à depressão até as vítimas mais jovens, isolamento, comportamento antissocial, desordens alimentares, tentativas de suicídio, atividade sexuais ilícitas."



Para comprar o livro pela Amazon, acesse: http://amzn.to/2uQlwMF 

11 Comentários

  1. Oi!
    Gosto demais de thrillers psicológicos, porque ficamos totalmente ligados e não queremos desgrudar do livro.
    E ver que as personagens tem defeitos e virtudes, torna a leitura mais crível e aproxima do leitor, porque é mais fácil nos identificarmos.
    Gostaria demais poder ler.
    Desejo um mês repleto de realizações!
    “A música é uma revelação superior a toda sabedoria e filosofia.” (Ludwig van Beethoven)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE AGOSTO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Acho thrillers sensacionais, me sinto extremamente envolvida com a trama.
    Eu já estava querendo ler este livro, agora sabendo que ele é alternado entre as pessoas despertou mais ainda a curiosidade! Ainda mais por abordar temas com impacto, como as situações sistema de adoção!

    Beijinhos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir
  3. Oi, Carol.
    Estou doida para ler esse livro. Amei o livro anterior da autora e agora quero conhecer também essa história!!
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  4. Oi!
    Gostei muito de ler A Garota Perfeita e espero fazer a leitura desse livro também!
    Gosto muito de thrillers psicológicos, quando apresentam um enredo inteligente e que prendem nossa atenção.
    Como gostei da escrita da autora, provavelmente irei ter uma leitura muito agradável com esse livro também.
    Parabéns pela ótima resenha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Olá!!
    Gosto bastante de thrillers psicológicos mas atualmente está difícil eu gostar e me empolgar com algum.
    Esse livro parece ter muitas perguntas e muito suspense.
    Fiquei muito curiosa com o fim d desfecho e quando puder com certeza vou ler..

    Bjo

    ResponderExcluir
  6. Olá! Parece ser um livro bem tenso, cheio de mistérios e suspenses, é uma situação bem inusitada a esposa trazer para morar com a família, pessoas desconhecidas, apesar de não ser meu gênero preferido, fiquei com vontade de conferir o enredo, pois parece ser um thriller psicológico de tirar o fôlego.

    ResponderExcluir
  7. Realmente este livro é só elogios, li várias resenha sobre ele e todas foram positivas.Uma situação difícil de se imaginar vivendo e ao mesmo tempo ficamos intrigados para saber o que vai acontecer com todos eles. Amo livros com este gênero e ele já esta minha lista de desejados. Esta capa é um mistério também, mas muito linda ♥

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Não tinha lido nenhuma resenha sobre esse livro, até que agora me deixou bem curiosa com a trama. Um misterio que envolve uma familia, com seus medos e etc, com certeza será uma leitura maravilhosa. Gostei bastante da historia e já entrou em minha lista de leitura!

    ResponderExcluir
  9. Oi!!
    Gosto muito do modo que a Mary Kubica desenvolve as suas estória, são thrillers bem instigantes e interessante!! E sem dúvida fiquei bem curiosa com relação a esse novo livro da autora!!
    Bjoss

    ResponderExcluir
  10. Eu já fui conquistada pela capa desse livro. A primeira resenha me lembrou A Garota do Trem mas depois vi que não tem nada a ver, hahah mas ainda assim fiquei aqui intrigada pensando o que será que vai rolar nessa história. Mt bom! Beijos

    ResponderExcluir
  11. Achei interessante a premissa, parece ser uma trama muito boa e envolvente, bem como parecer ser um livro forte. Gostei que o livro nos deixa intrigado e nos faz questionar, refletir. Vou anotar a dica.
    Beijos.

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.