Resenha Um Sedutor Sem Coração - Os Ravenels # 1 - Lisa Kleypas

Sinopse - Devon Ravenel, o libertino mais maliciosamente charmoso de Londres, acabou de herdar um condado. Só que a nova posição de poder traz muitas responsabilidades indesejadas – e algumas surpresas. A propriedade está afundada em dívidas e as três inocentes irmãs mais novas do antigo conde ainda estão ocupando a casa. Junto com elas vive Kathleen, a bela e jovem viúva, dona de uma inteligência e uma determinação que só se comparam às do próprio Devon. Assim que o conhece, Kathleen percebe que não deve confiar em um cafajeste como ele. Mas a ardente atração que logo nasce entre os dois é impossível de negar. Ao perceber que está sucumbindo à sedução habilmente orquestrada por Devon, ela se vê diante de um dilema: será que deve entregar o coração ao homem mais perigoso que já conheceu? Um sedutor sem coração inaugura a coleção Os Ravenels com uma narrativa elegante, romântica e voluptuosa que fará você prender o fôlego até o final
Primeiro livro da série os Ravenels, "Um sedutor sem coração" é narrado em terceira pessoa e se passa inicialmente em Hampshire, na Inglaterra em agosto de 1875. Devon Ravenel é um homem de 28 anos de idade que vive uma vida tranquila e sem muitas responsabilidades. Apesar de não ser rico, tem boas condições financeiras, mas sem um título importante para se apoiar. Devon e seu irmão mais novo Weston recebem a notícia que seu primo Theo faleceu em um acidente de cavalo. Sendo assim, Devon terá que assumir o título, as terras e as dívidas.

Os Ravenels são conhecidos pela impulsividade e seu temperamento volátil, além de uma vida curta e vícios, como álcool, mulheres e até mesmo drogas. E Devon e Wes não desapontam a linhagem: são dois homens que aproveitam imensamente a vida com jogos, bebidas e mulheres. Então a última coisa que Devon deseja é ser responsável por algo, muito menos pela vida de centenas de arrendatários e de familiares.

Ao chegar ao Priorado Eversby, Devon depara-se com uma verdadeira devastação: a casa está literalmente caindo aos pedaços, com mofo, madeira apodrecida e sem nenhuma atualização em décadas. Pior do que a casa principal são as moradias dos arrendatários também estão caindo aos pedaços e como eles não recebem nenhum auxílio para melhorar suas técnicas agrícolas, vão ficando cada vez mais endividados com o senhor das terras. Devon está decidido a vender tudo e empurrar os problemas para outra pessoa, mas tudo muda quando ele se depara com as suas primas e a viúva de Theo: Kathleen, a lady Trenear.

Kathleen estava casada há apenas três dias quando o seu marido faleceu. A partir desse momento, ela sentiu-se responsável pelas cunhadas, que estão há quase quatro anos em luto. Após perderem a mãe, perderam o pai e agora o irmão. E todo esse tempo Helen, Pandora e Cassandra não tem ninguém para sustentá-las. Kathleen acredita que sua pequena pensão poderá manter uma vida simples, mas segura para as quatro. Helen tem 21 anos e é a mais comportada, mas as gêmeas, que estão com 19 anos são selvagens e livres, e não estiveram diante da sociedade londrina.

Devon, que nunca quis propriedades, responsabilidades e muito menos uma esposa, fica encantado com Kathleen e não consegue tirá-la de sua cabeça, apesar dos dois brigarem constantemente e se acharem insuportáveis. O fato de que ela é generosa e ama Eversby e seus habitantes começa a mexer com o coração de Devon e seus princípios. Em contrapartida, a jovem viúva fica extremamente confusa ao sentir atração por um homem tão rude e determinado a exterminar o legado da própria família. Mesmo tendo estado casada por tão poucos dias, Katheleen precisa seguir a etiqueta social e ficar um ano de luto. Mas estar em uma propriedade tão distante dá a jovem certa liberdade para a viúva e as jovens Ravenels, que irão aproveitar pela primeira vez na vida um pouco de liberdade.
"- Se o fizesse mesmo, já teria compreendido que lady Trenear e eu temos a visão correta um do outro. Sou um canalha e ela é uma megera sem coração, perfeitamente capaz de cuidar de si mesma." (p. 39) 
O primeiro livro da série tem um enredo bem complexo, que vai muito além do romance entre os protagonistas. Várias subtramas vão sendo apresentadas, como o início das histórias de Wes, da Helen e do Sr. Winterborne, amigo de Devon. A autora aproveitou bem a fase da industrialização inglesa para falar das inovações tecnológicas, como máquinas agrícolas, estações ferroviárias e até mesmo pequenos inventos que facilitaram a vida doméstica.

Kathleen é jovem, inteligente, bonita e generosa. Sua infância a ensinou que chorar não leva a nada e que ela não pode contar com ninguém, mas mesmo assim ela não desiste das pessoas e está sempre disposta a estender as mãos. A jovem também ama cavalos e tem um dom inato ao treiná-los com o coração e perceber suas inseguranças. Devon e Weston cresceram presenciando um relacionamento deturpado. Helen, Cassandra e Pandora praticamente se criaram sozinha, com ajuda e amor dos criados. Enquanto seus pais deram atenção ao filho homem, as gêmeas acabaram ganhando atenção dos criados por conta de suas peraltices e Helen aprendeu a se tornar invisível e disponível para as irmãs mais jovens. Pandora e Cassandra são inseparáveis e sua alegria de viver é palpável; as jovens inventam palavras, correm livremente na propriedade e encontram nos pequenos atos motivos para rir e sorrir. Helen é calma, prestativa e cuida das orquídeas da mãe com uma devoção única. É o tipo de jovem pé no chão, mas que em seu coração guarda os desejos mais íntimos e pessoais, não deixando ninguém enxergar o seu verdadeiro eu.
"- Que absurdo! - Pandora jogou a peça de lado. - Isso é frustirritante.Diante da expressão interrogativa de Devon, Helen explicou:- Pandora gosta de inventar palavras.- Não gosto - retruco Pandora, irritada. - É só que às vezes uma palavra comum não expressa o modo como me sinto." (p. 67)
O leitor também vai conhecer um pouco mais sobre o Wes, um rapaz de 24 anos de idade que está se afundando rapidamente nos vícios e que precisa de um grande despertar para mudar sua própria vida.

"Um sedutor sem coração" é um romance irresistível, mas é muito mais do que isso. É a história de várias pessoas que estão tentando se encontrar, se descobrir como indivíduos e que irão se apoiar uns nos outros nessa jornada. É um livro com muito crescimento pessoal e personagens apaixonantes, carismáticos e cheios de vida.

A Editora Arqueiro realizou um ótimo trabalho de revisão, diagramação e layout e a capa é muito bonita.
"- Mas como vou saber se um homem é canalha? - perguntara Kathleen.- Pelo brilho doentio no olhar dele e pela sua facilidade de encantar as pessoas.A presença de um homem desse pode causar sensações terríveis. É o tipo de homem que tem algo especial em sua presença física... um certo "espírito animal", como minha mãe costuma chamar." (p. 21)





Para comprar o livro pela Amazon, acesse: http://amzn.to/2CJQubv

14 comentários

  1. Oi Carol.
    Eu adoro a escrita da Lisa Kleypas e quero ler tudo que ela escreve.
    Adorei a trama de Um sedutor sem coração. Parece ser mais do que um romance de época comum, com mais subtramas e a inserção de invenções na área agrícola.
    Devon e Kathleen são o típico casal que não se suporta no início, mas que vão acabar se gostando ao se conhecer melhor.
    Adorei a capa!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Pamela, tudo bem?
      Concordo que houve várias subtramas muito bem escritas nesse livro, que roubaram cenas em diversos momentos.
      Bjkas

      Excluir
  2. Olá! Gosto da escrita da Lisa Kleypas, esse livro parece ser cheio de histórias, o que acho muito bom, pois adoro conhecer vários personagens, pelo jeito Kathleen e Devon realmente vão construir seu relacionamento aos poucos, em um romance muito bonito e apaixonante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Elizete, tudo bem?
      A autora escreve muito bem, não é?
      Difícil resistir aos seus livros rs
      Bjkas

      Excluir
  3. Carolina!
    Dessa vez me parece que a Lisa trouxe uma série mais bem elaborada, com os protagonistas de temperamento forte e impulsivo, juntando além do romance, uma verdadeira aula de história sobre a revolução industrial e várias outras subtramas que devem prender do início ao final.
    Uma semaninha plena de amor no coração!
    “Eu escolho um homem que não duvide de minha coragem, que não me acredite inocente, que tenha a coragem de me tratar como uma mulher.” (Anaïs Nin)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA FEVEREIRO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rudy, concordo com você. É um livro mais denso, elaborado, o que me agradou bastante.
      Bjkas

      Excluir
  4. Olá!
    Own, que história fofa. Já fiquei apaixonada por esse livro. A trama é bem envolvente e interessante, vejo que os personagens briga feito cão e gato mas no final se ama. Já quero ler!

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lily, espero que você leia e venha nos contar o que achou do livro ;)
      Bjkas

      Excluir
  5. Difícil não se interessar pelo livro depois desta super resenha e apresentação sobre o livro. Apesar de ter uma trama até meio clichê, creio que a forma que á amadurecimento entre os personagens é algo que para mim é sempre positivo no livro, e não fica daquela briga de gato e rato. E por ter vários personagens atrelados ao casal principal. Com certeza foi para minha lista de desejados ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Michelli, que bom que gostou da resenha!
      Espero que leia e venha nos contar sua opinião.
      Bjkas

      Excluir
  6. Oi Carol!
    Devon é o típico mocinho de época que é um pé no saco até se render aos encantos de uma mulher, rsrs, não esperava menos da Lisa Kleypas.
    O enredo é sem dúvidas clichê (pelo menos pra mim), ainda não consegui enxergar algo mais complexo, mas eu gostei e estou ansiosa para ler, principalmente porque a história parece não conter aquele monte de cenas hots desnecessárias (eu espero).
    Amo essa capa <3
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vitória, acredito que o diferencial está nas subtramas e na discussão da agricultura e industrialização da época ;)
      Bjkas

      Excluir
  7. Oi, Carol..
    Esse foi o primeiro romance de época que li da autora e fiquei encantada!
    Gostei da forma como ela já introduziu outras histórias já nesse primeiro livro!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Camila, tudo bem?
      É um romance encantador mesmo.
      Bjkas

      Excluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.