Sinopse - Sejam bem-vindos ao acampamento Pádua. Um retiro de verão para adolescentes problemáticos. Mas não se tratam de problemas comuns, como não querer estudar, mentir ou colar na prova. Não! Estamos falando de problemas reais. Alguns deles tão grandes, tão sérios, que até um adulto desmoronaria sob o peso deles. No acampamento, Zander, uma garota enviada pelos pais contra a sua vontade, encontra uma série de adolescentes na mesma situação, e com três deles ela estabelece uma relação de amizade — Grover, Alex e Cassie. Todos os quatro são tão diferentes quanto as pessoas podem ser, mas têm algo em comum — eles estão quebrados por dentro. Em meio às sessões de grupo e, à medida em que o verão dá as caras, os quatro revelam seus trágicos segredos. Zander encontra-se atraída pelos encantos de Grover, e então começa a se perguntar, depois de muito tempo, se pode apostar em ser feliz novamente. Mas, antes, ela precisa lidar abertamente com seus problemas, para poder juntar seus pedaços e reconstruir sua vida. Você pode pensar que se trata de uma história triste. E há partes duras sim, mas, Rebekah Crane consegue mostrar como na dificuldade podemos encontrar uma saída. Isso é uma das coisas que faz o livro completamente encantador, divertido e doce, capaz de deixar em você um grande sorriso no rosto.
A história é narrada em primeira pessoa pela protagonista, a Zander (ou Z). Z é uma adolescente que saiu do Arizona contra a vontade e é levada ao Acampamento Pádua, em Michigan. Acontece que o acampamento Pádua não é um acampamento de verão qualquer e sim um local onde vários jovens se encontram ou reencontram para lidar com os seus problemas. Inicialmente o leitor fica receoso com o local e seus orientadores, principalmente porque o local parece ser um centro de auto ajuda genérico, com frases inspiradoras padrões e monitores robóticos. Mas tal receio é exatamente a percepção inicial de Z, que está no local contra a vontade. Percebemos que conforme o tempo passa e ela vai se conectando com os outros jovens, sua percepção se altera e o local torna-se uma chama de esperança para um novo recomeço.
"Eu fiquei observando uma mosca presa numa teia de aranha enquanto meus pais discutiam na mesa de jantar. Eu entendia bem a situação da mosca. Ela jamais conseguiria escapar, por mais que tentasse. De que adianta lutar? Você só acaba piorando as coisas." (p. 17)
Da equipe do acampamento temos Kerry, o dono do local e Madison, a monitora do grupo de Z como principais destaques. Observamos que ambos realmente se esforçam para ajudar e querem se conectar com os jovens, mas como fazer isso quando se está trabalhando com um grupo de adolescentes emocionalmente feridos e que se tornam ásperos e se sentem desconfiados de todos?
No grupo de Z temos jovens como Katie, Hannah e Dori, garotas que lutam diariamente com seus demônios internos, mas que se esforçam para tentar melhorar. Mas também temos Cassie, uma garota realmente agressiva, desafiadora e que por trás dessa máscara de durona esconde uma vulnerabilidade tremenda. Além desse grupo temos dois rapazes que se aproximam de Z: Grove e Alex. Grove imediatamente deixa claro seu interesse pela protagonista e acaba demonstrando imensa sensibilidade e compreensão do mundo para alguém tão jovem. Alex é um pouco mais secundário, mas suas aparições se destacam e apresentam outro lado da vulnerabilidade humana.
"Às vezes as pessoas estão perdidas porque têm muito medo de olhar para o caminho. Às vezes as pessoas evitam a estrada por temerem o que possa existir nela. É mais fácil permanecer oculto nas sombras e só observar." (p. 117)
Z é uma protagonista complexa, forte e ao mesmo tempo frágil. Sua necessidade de tentar ser "normal", de não aceitar que pertence ao local e a tentativa de erguer altos muros em torno de si são apenas algumas de suas características marcantes. 
Cassie é outra personagem que acaba se destacando e não apenas por sua proximidade com Z. Sua história pessoal é triste, cheia de altos e baixos e a jovem aprendeu a criar uma couraça para sobreviver. 
O Acampamento Pádua em si é um microcosmos da humanidade. Lá coexistem pessoas que estão quebradas por inúmeros motivos, que tentam lidar com suas dores das formas mais variadas possíveis, tentando apenas chegar ao dia seguinte. O local é um personagem vivo e pulsante, cheio de vida, dor, amor e desilusão e que emociona o leitor.
"Contra todas as probabilidades do amor" é um livro sensível que trabalha temas intensos de forma delicada e apaixonante. Durante a leitura o leitor irá sorrir, rir, chorar e se conectar com os personagens de tal forma, que cada um deles ganhará um lugar permanente em seus corações.
Preciso ressaltar que a Faro Editorial mais uma vez criou uma linda edição, cuidadosamente elaborada do início ao fim. Da escolha da capa, passando pela revisão e pelos detalhes internos, a edição está linda e marcante.




Para comprar o livro pela Amazon, acesse: https://amzn.to/2HnKxbJ 

6 Comentários

  1. Oi Carol.
    Esse livro parece incrível. Vi várias resenhas positivas sobre ele, o que só me deixou com mais vontade de lê-lo.
    Adoro histórias que tratam de temas mais pesados e que são abordados de forma delicada, mesmo que não tão profundamente. O importante é a reflexão.
    Espero ter a oportunidade de ler esse livro logo.
    Adorei a capa.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi, Carolina.

    Bom, acredito que nesse acampamento, todos os adolescentes ali presente tiveram a oportunidade de não somente conhecer os problemas um do outro, mas também ajudar, compreender, aprender algo.

    Tenho certeza que o livro é bastante profundo, por abordar diversos dilemas.

    ResponderExcluir
  3. Oi Carol,
    Juro que esperava algo completamente diferente da história, e tendo ela na prateleira, depois da sua resenha sem dúvidas pegarei para ler!!!
    Mesmo gostando muito de romances achei legal que a autora não se manteve nisso, e sim nos problemas pessoas dos personagens, achei isso tudo bem próximo da realidade. Fiquei curiosa para saber o que aconteceu com Zander e qual o seu "problema". Acabei ganhando o livro, quero ler em breve.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá! O livro realmente tem uma capa linda, e a história parece ser incrível, gostei que a autora aborde temas tão sensíveis e importantes, principalmente nessa fase da vida, fiquei bem curiosa para descobrir qual, afinal, é o problema da Z, e como o acampamento os ajudarão a lidar com este e outros problemas.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Carol.
    Esse livro é super gracinha! E a edição ficou linda mesmo...
    Mesmo não me apegando aos personagens, adorei a trama!
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  6. Gosto desses livros que fazem o leitor sentir milhões de emoções durante a leitura. E essa edição também está linda ein! ♥
    Tudo que Motiva

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.