Sinopse - Desde pequeno, Ganoes Paran decidiu trocar os privilégios da nobreza malazana por uma vida a serviço do exército imperial. O que o jovem capitão não sabia, porém, era que seu destino acabaria entrelaçado aos desígnios dos deuses, e que ele seria praticamente arremessado ao centro de um dos maiores conflitos que o Império Malazano já tinha visto. Paran é enviado a Darujhistan, a última entre as Cidades Livres de ­Genabackis, onde deve assumir o comando dos Queimadores de Pontes, um lendário esquadrão de elite. O local ainda resiste à ocupação malazana e é a joia cobiçada pela imperatriz Laseen, que não está disposta a estancar o derramamento de sangue enquanto não conquistá-lo. Porém, em pouco tempo fica claro que essa não será uma campanha militar comum: na Cidade do Fogo Azul não está em jogo apenas o futuro do Império Malazano, mas estão envolvidos também deuses ancestrais, criaturas das sombras e uma magia de poder inimaginável. Em Jardins da lua, Steven Erikson nos apresenta um universo com­plexo de cenários estonteantes e ações vertiginosas que mostram por que esta é considerada uma das maiores sagas épicas.
"Jardins da Lua" é o primeiro livro da série "O livro Malazano dos Caídos" e irá trazer o universo do Império Malazano. Diferentemente de muitas séries que vão explicando aos poucos cada detalhe do universo criado, o autor Steven Erikson optou por pular as justificativas no texto e com isso, fazer com que o leitor preste atenção a cada mínimo detalhe para compreender a funcionalidade do Império Malazano. O livro é dividido em partes e possui vários protagonistas que darão perspectivas diferentes do governo, das terras e da sociedade.
A complexidade da história se dá pelo fato de que a trama trabalha com magia, deuses, soldados, criaturas sobrenaturais, espécies inéditas e soldados. Tudo isso envolvendo tramas políticas, reviravoltas, batalhas e revelações. O grande número de personagens também é outro fator que pode ser atribuído à complexidade do livro. São tantos personagens protagonistas (vários deles ganham seu espaço na história) que fica difícil descrever cada um deles.
"-... Nunca conceda facilmente o conhecimento que possui. Palavras são como moedas: vale a pena guardá-las." (p. 50)
O prólogo se passa no último ano do reinado do Imperador Kellanved e temos uma breve visão da cidade de Malaz, onde encontramos Ganoes Stabro Paran de apenas 12 anos de idade está admirando os soldados do Imperador. Filho de um nobre, tudo o que sonha é em se tornar um soldado. Mal sabe ele que nesse exato momento está observando em primeira mão a mudança de poder: a caída de Kellanved e a chegada de Surly, agora conhecida como Laseen (palavra napaniana para "mestre do trono") ao trono como Imperatriz.
"- Lá atrás, nas Sete Cidades, diz-se que a Primeira Espada do Império, o comandante de seus exércitos, Dassem Ultor, aceitou a oferta de um deus. O Encapuzado tornou Dassem seu Cavaleiro da Morte... Então, algo aconteceu, algo deu... errado. E Dassem renunciou a seu título; fez um voto de vingança contra o Encapuzado... contra o próprio Senhor da Morte. De uma só vez outros Ascendentes começaram a interferir, manipulando os acontecimentos. Tudo culminou com o assassinato de Dassem, depois o assassinato do imperador, e sangue nas ruas, templos em guerras, feitiços desencadeados." (p. 128)
O livro I se passa em Pale e se passa no sétimo ano do governo da imperatriz Laseen. O golpe dado por Laseen para conseguir o trono foi bem arquitetado, mas ainda há resquícios do antigo Império e ressentimentos que atravessam esse mundo e chegam até aos deuses. Pois é, existem alguns deuses que não estão felizes com o Império Malazano e irão dar um jeito de virar a moeda a seu favor.
E é nesse momento que conhecemos uma jovem, filha de pescador que terá seu livre arbítrio tirado ao se tornar um instrumento dos deuses. É aqui também que observamos o tenente Ganoes Paran, um jovem de 19 anos de idade, oficial credenciado a equipe da conselheira Lorn, a mão direita da Imperatriz.
Paran é um personagem que tem grande crescimento pessoal. Ao ver de perto as ações dos deuses, as manipulações do Império e como é um mero peão em um jogo tão grande, Paran começa a repensar sua vida e a tentar tomar o controle dela.
Lorn está em Ikto Kan para acompanhar a Campanha de Genabackis comandada pelo Alto Punho Dujek Umbraço. Na verdade, ela está a procura de alguém específico, alguém que pode arruinar os planos da Imperatriz. Dujek serviu ao antigo Imperador e é um homem respeitado por seus soldados. A lealdade deles é até mesmo maior do que sua lealdade para com a Imperatriz e isso torna-se um grande problema. A partir desse momento percebemos que a Imperatriz não tem tanto controle sobre o seu império como gostaria e que coincidentemente os soldados mais antigos e que foram importantes para o antigo Imperador estão sofrendo acidentes, morrendo ou desaparecendo. Dentro dos grupos de soldados, existe os Queimadores de Pontes (e aí teremos várias e várias páginas com eles protagonizando a história) que ao sofrerem uma tentativa de assassinato, acabam bolando um plano para sobreviver. Dentro desse grupo de soldados encontra-se Piedade, uma jovem fria e tão vil que assusta o pior dos assassinos. Sua história é complicada, mas seu papel é claramente fundamental. Temos também Tattersail, uma feiticeira poderosa que estará no meio desse jogo de poder e que irá pela primeira vez em muito tempo, agir de acordo com sua consciência e coração. Hairlock outro mago poderoso que vai ficando ambicioso e completamente fora de controle com o tempo.

Em paralelo a isso, temos a missão do Império: conquistar Darujhistan, a Cidade do Fogo Azul, a última das Cidades Livres de Genebakis, uma missão nada fácil. Dentro de Darujhistan iremos conhecer outros personagens como Kruppe, o jovem Crokus, o alto alquimista Baruk e a terrível Lady Simtal. Temos também a história de Anomander Rake e a Sociedade de Assassinos. Suas histórias estão entrelaçadas e irão tear a trama central de forma majestosa. Essa é parte II do livro.
"Paran não sabia mais quem era o maior traidor em tudo aquilo, se é que havia um traidor. Seria o Império apenas a imperatriz? Ou era alguma outra coisa, um legado, uma ambição, um objetivo distante de paz e riqueza para todos?" (p. 98)
Na parte III, chamada de A Missão é onde o leitor começa a ver os planos dos personagens se desenvolverem, a parte IV, chamada de Os assassinos é a continuação desses planos. O livro ainda conta com mais três partes: V, as colinas Gadrobi, VI a cidade do fogo azul e VII o festival.
É impossível falar de todos os personagens, mas não tem como não mencionar o sargento Whiskeyjack e todo o seu grupo de Queimadores de Pontes. Cada um deles possui uma habilidade única, um talento especial que torna essa equipe inestimável e talentosa.
A editora Arqueiro realizou um trabalho excepcional no livro. A contracapa apresenta os personagens, temos mapas, lista de personagens e um glossário no final do livro. O trabalho de revisão está impecável e a capa é simplesmente perfeita!

"- Toda decisão que você toma pode mudar o mundo. A melhor vida é aquela que os deuses não notam. Se quiser viver livre, garoto, viva sem fazer muito barulho." (p. 23)


Para comprar o livro pela Amazon, acesse: https://amzn.to/2Iz9QnC

16 Comentários

  1. Oi, Carolina.

    Por vezes, a introdução de muitos personagens ao enredo, pode tornar a leitura um pouco embaralhada. Eu teria medo de me perder nesse mar de informações.

    No entanto, cada um deles são fundamentais no que se diz respeito às batalhas e a conquista pela tão cobiçada cidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Daiane, confesso que dá um certo medo começar uma trama tão complexa, mas vale totalmente a pena, pois em pouco tempo conseguimos nos habituar e iremos nos surpreender.
      Bjkas

      Excluir
  2. Oi Carol.
    Esse livro parece ter uma história bem densa, com muitos acontecimentos, personagens e background para serem entendidos logo de cara.
    Fiquei curiosa para conhecer essa história, mas não é uma prioridade.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Pamela, tudo bem?
      É um ótimo livro para aqueles que gostam do gênero literário ;)
      Bjkas

      Excluir
  3. Olá! Adoro esses livros de fantasia, que misturam magia, criaturas sobrenaturais e questões políticas, o único, porém é que geralmente essas séries têm vários livros enormes, com vários detalhes e um montão de personagens (às vezes á até difícil lembrar todos), por isso adorei que a contracapa apresente esses personagens, espero conhecer em breve o universo do Império Malazan.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Elizete, a contracapa foi um detalhe incrível e importantíssimo, pois consegui visualizar os personagens.
      Bjkas

      Excluir
  4. Carol!
    Gosto dos desafios e acredito que esse livro deva ser um daqueles que lemos para sair da zona de conforto, mesmo sendo um livro de fantasia.
    Já fico normalmente bem confusa quando tem muitas pesonagens e reinos, muitos locais, enfim, imagina um que não tem muita explicação e sem muita definição.
    Não tenho muito mais a falar não, nem sei se irei ler.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rudy, é um desafio mesmo, mas é um livro muito bom!
      Bjkas

      Excluir
  5. Olá!
    Já ouvi fala muito desse livro mas nunca parei para ler a resenha. Vejo que tem uma premissa ótima, a trama me deixou bem curiosa sobre ele.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lily, o livro é muito bom e acho que se você gosta desse tipo de história, irá amar esse enredo.
      Bjkas

      Excluir
  6. Gosto bastante de fantasia, mas confesso que ia demorar para conseguir pegar o ritmo do livro porque iria ficar confusa entre personagens e reinos.
    Não sei se é uma leitura que faria, mas achei a edição fantástica ainda mais mostrando os personagens.

    beijinhos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nicole, a edição está realmente incrível e vale muito a pena a leitura ;)
      Bjkas

      Excluir
  7. Gosto de livros de fantasia e esse parece ser muito bom! Principalmente por misturar mitologia e tramas políticas. Mas, apesar de tudo isso, dá medo de começar a ler e não entender nada(o que é bem capaz de acontecer). Sinto que vou me perder em meio à essa história e aos personagens!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maisanara, esse é o tipo de livro que é bom ir lendo com calma até assimilar tudo, mas que vale muito a pena.
      Bjkas

      Excluir
  8. Gosto de ficção e fantasia mas essa não me encantou, acho que esses muitos personagens me deixariam confusa e ter que ir prestando atenção nos mínimos detalhes para entender tudo também. Mas a história é fantástica e esse mapa que vem no livro me lembrou muito a trilogia corte de espinhos e rosas da Sarah J. Maas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luana, tudo bem?
      Que pena que não te encantou.
      Bjkas

      Excluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.