Resenha A Escola do Bem e do Mal - A Escola do Bem e do Mal # 1 - Soman Chainani

Sinopse - No povoado de Gavaldon, a cada quatro anos, dois adolescentes somem misteriosamente há mais de dois séculos. Os pais trancam e protegem seus filhos, apavorados com o possível sequestro, que acontece segundo uma antiga lenda: os jovens desaparecidos são levados para a Escola do Bem e do Mal, onde estudam para se tornar os heróis e os vilões das histórias. Sophie torce para ser uma das escolhidas e admitida na Escola do Bem. Com seu vestido cor-de-rosa e sapatos de cristal, ela sonha em se tornar uma princesa. Sua melhor amiga, Agatha, porém, não se conforma como uma cidade inteira pode acreditar em tanta baboseira. Ela é o oposto da amiga, que, mesmo assim, é a única que a entende. O destino, no entanto, prega uma peça nas duas, que iniciam uma aventura que dará pistas sobre quem elas realmente são.
O povoado de Gavaldon é um povoado pequeno que fica próximo a uma floresta que sofre com um terrível acontecimento: a cada quatro anos, dois jovens com idade maior de doze anos são sequestrados misteriosamente. Isso vem acontecendo por centenas de anos. Conforme os sequestros foram acontecendo, a população notou algo: sempre são duas crianças sequestradas. Uma criança é o exemplo de bom comportamento enquanto que a segunda criança é exatamente o seu oposto. Então surgiu a teoria de que as crianças são levadas para duas escolas: a do bem e a do mal. Na do bem, elas se tornam princesas, com direito a finais felizes e na do mal, tornam-se vilãs.
Todos em Galvadon estão desesperados, pois está época de um novo sequestro. Todos menos Sophie, uma jovem loura, bonita e que tem certeza absoluta que merece uma vida de princesa e não de plebeia. Tanto que ela fez amizade com Agatha, a menina estranha do povoado que mora com a mãe no cemitério. Agatha se veste apenas de preto, é introspectiva e faz comentários um pouco mais sarcásticos.
Enquanto todos colocam travas nas janelas e escondem seus filhos, Sophie tenta "facilitar" seu sequestro e Agatha, sabendo que sua amiga iria fazer algo estúpido, fica de olho. Acontece que ambas são sequestradas e acabam descobrindo que a Escola do Bem e do Mal realmente existe, mas nem tudo é da forma como imaginam.
Sophie não se conforma e fará de tudo para conseguir o que quer enquanto que Agatha fará de tudo para voltar para Gavaldon ao lado de Sophie.
"Ali, contudo, nas torres do Bem, os meninos saíam para lutar com espadas enquanto as meninas tinham que aprender latidos caninos e pios de corujas. Não era de admirar-se que as princesas fossem tão imponentes nos contos de fadas, ela pensou. Se tudo o que podiam fazer era sorrir, manter a postura ereta e falar com esquilos, então que escolhas tinham além de esperar que um garoto viesse salvá-las?"
É muito difícil falar desse livro sem entregar acontecimentos importantes, mas vou tentar. O livro é voltado para o público jovem e o universo criado por Soman Chainani é fantástico. A escola do Mal é a "Escola para edificação do Mal e propagação do pecado" é composta por inúmeros alunos que serão os futuros vilões dos contos de fadas: bruxas, trolls, ajudantes, ogros e tantos outros personagens que são menosprezados nas histórias. Os professores são mais rígidos, a grade de aula é cheia de feitiços e maldições e as refeições são... nojentas. A escola do bem é a "Escola para a iluminação no bem e nos encantamentos" e os alunos estão constantemente felizes, as meninas vestidas de cor de rosa, os meninos de azuis e todos estão a espera de encontrar seus príncipes e princesas encantadas e ter o seu final feliz. Aulas como etiqueta, comportamento, dança e boas maneiras estão na grade de ensino e as refeições são verdadeiros banquetes.
Em meio a essa atmosfera estudantil e competitiva iremos conhecer personagens marcantes. No lado do mal temos Dot, Hester, Anadil e Hort; do lado do bem temos Beatrix, Kiko e Tedros, além de professores incríveis.
Como é um livro voltado para o público mais jovem, o autor manteve o ar de contos de fadas com lições importantes de autoconhecimento e crescimento pessoal. Tanto Sophie quanto Agatha irão conhecer mais sobre si mesmas, descobrir seus defeitos e qualidades e terão que tomar decisões que podem impactar todo o seu futuro.
Além disso, o livro é repleto de ilustrações que complementam perfeitamente o livro e combinam com o ar de conto de fadas do livro.
“Esse é o problema com contos de fadas. De longe eles parecem perfeitos. Mas, de perto, são tão complicados quanto a vida real.”
Para comprar o livro pela Amazon, acesse: https://amzn.to/2m9UvAk 

8 comentários

  1. Olá Carolina!
    Adoro livros que trazem ilustrações, estou louca pra conhecer esse livro, acompanho resenhas dele e cada vez mais me deixam curiosa pra ler.
    Bjs!



    https://aguardiadasresenhas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Que fantasia interessante, acho que é um livro que me agradaria e essas ilustrações tornam a leitura muito mais fácil e ajudam na imaginação do leitor. Essa premissa é muito boa, fiquei curiosa para saber o que leva a esses sequestros e o que realmente acontece nas escolas.

    ResponderExcluir
  3. Parece ser aqueles livros de fantasia bem encantador, com todo aquele clichê bem x mal que conquista essa geração de jovens leitores.
    Não faz muito meu estilo de leitura, mas acho que daria uma chance pois parece cativar o leitor.

    beijinhos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir
  4. Oi Carol,
    Li em algum lugar que o livro tem bastante referência de personagens que já conhecemos, eu fiquei curiosa por isso. Acho que até consegui captar a mensagem que a história passa, achei inovador, eu gostei, me surpreendi e claro, fiquei curiosa para saber como a história acaba. As duas personagens parecem ser diferentes do que aparentam, espero que no decorrer da historia mostre elas mais profundamente!
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. cAROL!
    Gosto muito de livros de fantasias e quando bem escritos, são ótimos de se ler.
    O livro tem muitas personagens e o fato de o bem e o mal interagirem, é uma analogia bem feita.
    Gostaria de ler, AINDA MAIS POR SER ILUSTRADO.
    “É o coração que sente Deus e não a razão.” (Blaise Pascal)
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  6. Olá Carolina,

    Gostei muito d sua resenha, essa é a primeira resenha que leio desse livro e já vou colocar na minha lista, ainda mais por a Agatha ser o nome da minha filha...kk...bjs.


    http://devoradordeletras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Gostei do livro, já tinha lido resenha dele e tem uma ótima premissa, até me deixou bem curiosa pela trama.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  8. Olá! Gostei bastante da proposta do livro, achei bem interessante, muito bacana existir escolas que preparam as pessoas para serem vilões ou mocinhas, embora seja voltado para um público mais jovem, fiquei com vontade de ler.

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.