No Divã do Acordei II Autor Laplace Cavalcanti

Bom dia, Leitores do Acordei com Vontade de Ler! Essa semana saiu a resenha do livro "Tábula Rasa" do nosso autor parceiro Laplace Cavalcanti e hoje vamos deixar a entrevista que fizemos com o autor aqui no blog.

Oi Laplace, tudo bem? Tudo. J

1. Laplace, é um prazer contarmos com a sua participação no blog. Conte-nos, o que o motivou a escrever “Tábula Rasa”?
Laplace - Ela simplesmente não saía da minha cabeça (kkkkk). Na época eu estava focando em outro projeto, e na hora que Tábula Rasa surgiu não consegui pensar em mais nada, principalmente após a mudança que falo na questão 3. Eu vi que era uma história que precisava ser contada e que não podia esperar.

2. Apresente-nos a obra.
Laplace - Tábula Rasa é uma ficção científica distópica que narra a história dos últimos sobreviventes da raça humana, após uma guerra nuclear que devastou o planeta. Eles vivem em uma base subterrânea — denominada Cofre — porque a superfície se tornou radioativa e precisam lidar com controle populacional, escassez de recursos e, por algum motivo, todas as pessoas se tornaram inférteis. Na história nós acompanhamos David, ele foi resgatado de um outro abrigo e acorda sem memória alguma do que aconteceu, mas à medida que interage com os demais e recupera suas lembranças, David vai descobrindo que há mais entre as quatro paredes do Cofre do que lhe contam.

3. Como foi o processo de criação da obra? Como foi a escolha do título?
Laplace - Inicialmente eu estava planejando outra história (chamemos de plano A), inclusive algo sobre esse plano A é mencionado rapidamente logo no começo do livro, mas eu não posso mencionar aqui para não dar spoiler, porque foi algo que eu agreguei à trama final e que vocês saberão mais em breve. Enquanto seguia com esse plano A me veio a ideia de manter a ideia original que vemos no significado da expressão “tábula rasa”, só que apresentada em outra trama (chamemos de plano B) e acabei mudando tudo. Essa expressão, “tábula rasa”, eu ouvi pela primeira vez em um episódio da série de ficção científica Stargate Atlantis e gostei bastante tanto de como soava como do que poderia significar, e quando me veio a ideia para o livro — tanto no plano A como no B — nenhum outro título pareceu mais apropriado. Basicamente o título foi escolhido antes de toda a história estar planejada.

4. Qual foi a sua inspiração para escrever essa distopia?
Laplace - Distopia é um dos meus gêneros favoritos e eu sempre quis começar a escrever algo nessa área. Eu queria contar uma história que mostrasse mais do ser humano, que não somos 100% bons e nem 100% ruins, dependendo da situação que se apresenta tomamos decisões que podem ser vistas como erradas para outros, e que, por melhor que tentemos ser, muitas vezes nos deixamos levar pelo egoísmo.

5. Como foi o processo de pesquisa para a obra?
Laplace - Bastante motivador, nunca pensei que fosse tão interessante ler um manual de operação de uma retroescavadeira hidráulica (kkkkk). Eu estava tão envolvido com a escrita, que fazia todo tipo de pesquisa a qualquer hora do dia, e às vezes colocava um limite, ou estenderia a pesquisa além do que precisava e passaria muito tempo nisso. Uma vez mesmo eu estava pesquisando sobre plataformas aéreas articuladas às 2 da manhã.

6. Quais os principais desafios para escrita desta obra literária?
Laplace - Eu mesmo, na época eu estava mudando o pensamento de: você escreve apenas quando estiver motivado para a motivação chega se ela lhe encontrar escrevendo. E isso não é fácil, porque você se obriga a escrever em momentos em que não está com ânimo para isso, até que você começa e se empolga. Se você tem toda a história planejada, se construiu o esqueleto com os capítulos, você sabe o que vai acontecer — mesmo que algumas coisas mudem na hora —, é só destrinchar.

7. Qual a mensagem que deseja transmitir ao leitor por meio da leitura desta obra literária? A quem indica leitura?
Laplace - A principal mensagem é mostrar a verdadeira face do ser humano. Por mais que exista o discurso “vamos ajudar uns aos outros”, quando nos deparamos com uma situação em que precisamos escolher entre nós e eles, a grande maioria acaba se deixando levar por decisões egoístas, mesmo que elas não sejam por uma questão de sobrevivência, mas apenas por ser algo que preferimos. E isso é algo que precisa ser trabalhado, como é dito no livro: “Se a humanidade não deixar de repetir os erros do passado, não importa o quanto tente, jamais se tornará algo melhor”. Essa é uma leitura que, a meu ver, não interessa apenas aos fãs de distopia, qualquer pessoa que goste de uma história que conta o que precisa ser contado, independente de ser o que se espera para agradar acredito que irá gostar do livro.

8. Onde podemos comprar seu livro?
Laplace - No site da editora Coerência (www.editoracoerencia.com.br) ou no site da livraria Saraiva (www.saraiva.com.br).

9. Quais são os próximos projetos?
Laplace - No momento estou trabalhando no volume 2 de Tábula Rasa, e sim, haverá uma continuação. Se você já leu a obra e imaginou que não por isso não estar explícito na capa de Tábula Rasa que ele é o volume 1 e/ou por ter me visto comentar em algum lugar que não tinha planos de escrever uma continuação, foi proposital. A meu ver Tábula Rasa tem um desfecho, eu deixei pequenas pistas ao término de que algumas pequenas pontas podem ter ficado soltas, mas eu queria que os leitores tivessem o contato com a obra como um volume único no começo para que sentissem melhor o impacto da mensagem passada que comentei na questão 7. Mas não se preocupem, essa história ainda não acabou e já adianto que o livro 2 terá um ritmo bem mais acelerado.

10. Que mensagem você deixa para nossos leitores?
Laplace - Publicar Tábula Rasa pela Coerência foi um sonho, e houve uma época em que isso parecia inalcançável, ou que não havia previsão desse livro sair. Mas aconteceu, é por isso que eu deixo para vocês a mesma mensagem que consta em meu primeiro livro (A Página Certa): não desista de seus sonhos, alguns te dirão para fazer isso porque nem todos conseguem realizá-los. Mas o que não te contam é que aqueles que realizaram foram as pessoas que continuaram tentando quando lhe falaram para desistir.
Sobre o autor - Natural de João Pessoa - PB, Laplace Cavalcanti escreveu sua primeira história aos 8 anos. Aos 13 participou do Prêmio Jovens Autores do colégio Pio XI Bessa. É o autor do livro TÁBULA RASA e contista na antologia ERA UMA VEZ pela editora Coerência, além de ter escrito o chick-lit A PÁGINA CERTA e ter contos publicados na Amazon e no Wattpad.
LINKS DE VENDA 
Loja da Editora Coerência
Saraiva



* Entrevista realizada com autor parceiro

5 comentários

  1. Comecei a ler Tabula Rasa, precisei parar para tomar folego.
    Quero concluir a leitura logo. O Laplace e uma pessoa incrivel. Muito lindo, inteligente e gentil. Adoro.

    ResponderExcluir
  2. Olá! Depois da resenha do blog esse livro entrou na minha lista de leitura, pois fiquei bem interessada na história, imagino como ela deve ser forte, uma vez que não saia da cabeça do autor, o fazendo alterar seus planos, o fato dele apresentar personagens que não são definidos com maus ou bons, é ótimo, pois pelo menos para mim, torna o enredo mais atraente. Fico feliz em saber, que mesmo tendo continuação, o livro um tem um final. Parabéns ao Laplace pelos livros publicados, e estou ansiosa pelos próximos lançamentos.

    ResponderExcluir
  3. Olá.
    Fiquei bem curiosa para conhecer essa história, pois amo distopia e estou procurando ler mais nacionais.
    É incrível como às vezes estamos tão imersos no processo de escrita ou de pesquisa que nem vemos o tempo passar. Nesses momentos é bom impor um limite para não desgastar muito o corpo e a mente.
    Espero ler o livro logo.
    Desejo muito sucesso ao autor.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Adorei bastante a entrevista. Vejo que o livro tem uma premissa ótima. Já fiquei curiosa para ler e também adorei muito conhecer o autor.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  5. Oi, Carol.
    Adorei a entrevista!
    Acho super legal saber mais sobre o autor e suas inspirações!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.