Resenha Querido Vizinho - Penelope Ward

Sinopse - Depois de tomar um pé na bunda, a última coisa que eu precisava era me tornar vizinha de alguém que me lembrasse do meu ex-namorado, Elec. Damien era uma versão mais sexy do meu ex. O vizinho que eu chamei de “artista irritado” também tinha dois cachorros enormes que me mantinham acordada com seus latidos. Ele não queria nada comigo. Ou era o que eu pensava até que uma noite eu ouvi risadas vindo através de um aparente buraco na parede do meu quarto. Damien estava ouvindo todas as minhas sessões de telefone com o meu terapeuta. O artista sexy agora conhecia todos os meus segredos mais profundos e inseguranças. Nós começamos a conversar. Ele me deu dicas para superar meu rompimento. Tornou-se um bom amigo, mas deixou claro que não poderia ser nada mais. O problema era que eu estava me apaixonando por ele. E por mais que ele me afastasse, eu sabia que ele sentia algo por mim... porque seu batimento cardíaco não mentia. Eu pensei que meu coração havia sido destruído por Elec, mas estava vivo e batendo mais forte do que nunca por Damien. Eu só esperava que ele não o destruísse para sempre.
O livro é narrado em primeira pessoa pela Chelsea, uma jovem de 25 anos de idade que estava em um relacionamento sério e que foi abandonada de repente sem muitas explicações (a história do ex dela é contada em "Meu querido meio-irmão"). A protagonista trabalha no centro de juventude com jovens e está um pouco deprimida com o final do relacionamento, duvidando até mesmo de si mesma.
Em um novo apartamento ela encontra alguns problemas de convivência com o vizinho, um artista que tem dois rottweilers barulhentos com quem divide uma parede. Mas o que realmente a enfurece é que Damien (o vizinho) escuta sua sessão de terapia e se intromete, deixando-a constrangida. Apesar desse começo problemático, Chelsea e Damien acabam se tornando bons amigos e Damien começa a ajudá-la a recuperar sua auto-estima e a curar o seu coração.
"... Mas também quero que você entenda que há uma diferença entre não querer estar com alguém e não poder. Eu sei que, mais do que tudo, você está com medo de se machucar de novo. E mesmo estando muito a fim de atravessar essa linha com você, se eu for em frente, vou te machucar. E não vou ser esse cara." (p. 62)
O problema é que Damien envia sinais contraditórios para a mocinha, dizendo que não quer se envolver romanticamente com ela, mas agindo de forma possessiva.
"- Supostamente, o que temos é só amizade, certo? Então, por que ficar perto de você às vezes me machuca tanto? Acho que encontrei a resposta para isso hoje. É porque você me diz uma coisa, mas seus olhos dizem outra, seu coração diz outra. Seu coração estava batendo mais rápido do que o meu hoje." (p. 104)
A Chelsea é um amor de pessoa. Generosa, gentil com todos e apaixonada pelo trabalho. É o tipo de personagem engraçada que conquista o leitor com sua personalidade. Damien é um artista até na alma. É atormentado pelos demônios do passado e prefere passar a vida sem arriscar a felicidade com medo de que algo dê errado. Apesar dos seus problemas, ele é um cara legal, engraçado e que gentil. Vemos isso através de alguns comentários de funcionários do prédio onde os protagonistas moram.
Ambos os protagonistas possuem algo a superar, então observamos o crescimento pessoal deles durante a narrativa. Eles são jovens e vão percebendo que a vida reserva um futuro desconhecido, mas cheio de possibilidades e precisam ter coragem para dar o primeiro passo.
Quatro personagens secundários se destacam no livro, sendo dois deles humanos e dois caninos. No grupo dos humanos temos o Tyler, irmão do Damien e a Jade, irmã da Chelsea. Os dois são ótimos irmãos, preocupados e atentos ao bem estar de seus respectivos familiares. Na dupla canina temos Dudley e Drewfus, dois cães gigantescos, mas que na verdade não passam de ursos de pelúcia de tamanho família.
É um romance gostoso de se ler, com diálogos ágeis, situações engraçadas e momentos fofos e é claro situações em que o coração do leitor irá acelerar de ansiedade.
A revisão, diagramação e layout foi muito bem feita. A capa traz um modelo bonito, mas não conta muito sobre o conteúdo em si.
"- Se você está dizendo a si mesmo que não consegue fazer alguma coisa, mude a história na sua cabeça. Visualize um resultado diferente. Mude a história. Essa também é a beleza da arte. Você pode criar a sua própria interpretação de qualquer coisa. Pegue uma lembrança triste ou incômoda, por exemplo, e reescreva o final." (p. 54)
Para comprar o livro pela Amazon, clique aqui.
Resenha do livro "Meu querido meio-irmão".

* LIVRO RECEBIDO EM PARCERIA COM A EDITORA*

Um comentário

  1. Olá! Gosto muito da escrita da Penelope Ward, acho que ela consegue envolver o leitor com os personagens de uma maneira que não é possível largar o livro até concluirmos a história e descobrir tudo o que aconteceu com eles, e ao mesmo tempo tem aqueles momentos mais leves e descontraídos, Chelsea merece muito o Damien, a construção do relacionamento dos dois é muito gostosa de acompanhar, uma mistura de sentimentos, mas com certeza o final vale muito a pena. Eu gosto mais da capa original do livro.

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.