Resenha Não Confie Em Ninguém - Charlie Donlea

Sinopse - O destino de Grace Sebold toma um rumo inesperado durante uma tranquila viagem com o namorado. O rapaz é assassinado... e ela é condenada pelo crime. Depois de dez anos na prisão, surge a chance de Grace provar sua inocência ao conhecer a cineasta Sidney. Em um documentário que exibe as falhas do processo, a cineasta questiona se a condenação foi fruto de incompetência policial ou se a jovem foi vítima de uma conspiração. Antes do término das filmagens, o clamor popular leva o caso ser reaberto, mas um novo fato provoca uma reviravolta: Sidney recebe uma carta anônima afirmando que ela está sendo enganada pela assassina. A cineasta começa a investigar o passado de Grace e quanto mais se aprofunda na história, mais dúvidas aparecem. No entanto, agora, o que está em jogo não é apenas a repentina fama e carreira, mas sua própria vida.
"Não confie em ninguém" é uma obra emocionante que irá girar em torno de duas personagens: Grace Sebold e Sidney Ryan.
Tudo começa em 2007 quando Grace, seus familiares, um grupo de amigos e o namorado Julian Cristian viajam para um casamento em Santa Lúcia, no Caribe. Ao invés de uma comemoração belíssima em um local paradisíaco temos o início de um pesadelo sem fim: Julian é assassinado e Grace acusada e condenada pelas autoridades locais.
A Parte I do livro, chamada de "O documentário" se inicia em 2017 com Sidney Ryan, uma documentarista que vem recebendo há dois anos cartas de Grace e de sua amiga Ellie Reiser pedindo por ajuda. Após explorar todos os meios legais e não conseguir sua soltura, Grace não tem mais recursos além de pedir para contar sua versão dos fatos para a documentarista e contar a sua história.
Sidney, uma mulher de 36 anos que está começando a ser reconhecida no meio trabalha com uma parceira de produção, a Leslie Martin e após discutirem o caso e realizarem uma primeira análise do contexto, resolvem seguir com a história.
 A Parte II, é chamada de "A Apresentação" e fala sobre o documentário em si, mas também sobre a vida de Sidney.
A Parte III é chamada de "Campeão de audiência". O documentário, chamado "A Garota de Sugar Beach" vai ser praticamente exposto em tempo real, ou seja, enquanto a equipe pesquisa as novas evidências, o público vai sendo atualizado. E em pouco tempo, o show torna-se um dos mais assistidos e a audiência começa a pressionar para que o caso de Grace seja revisto. Porém, ao mesmo tempo em que encontramos provas que inocentam Grace, encontramos também provas que a deixam ainda mais culpada. Essa contradição vai sendo trabalhada muito bem e inclusive a presença de um personagem específico, um homem internado em um hospital, um senhor chamado Gus irá levantar ainda mais questionamentos.
A Parte IV é chamada de "O outro lado" e é o momento em que o leitor descobre se Grace é culpada ou inocente e na parte final, chamada "Na estrada de novo" temos o desfecho do enredo.
Sidney é uma mulher determinada que tem uma jornada pessoal interessante e única. É uma profissional honesta que não se deixa levar pelo sucesso e nem tenta cortar caminho para encaixar a história em seu objetivo. Para ela, o objetivo dos seus documentários é a verdade, seja ela agradável ou não. É uma mulher forte que não se deixa abalar com os obstáculos ou com intimidações.
"A Organização denunciou o uso de técnicas ilegais de interrogatório e de falsos testemunhos de peritos para conseguir uma condenação. Segundo a organização, o governo de Santa Lúcia quis solucionar rapidamente o caso da morte de Julian Crist, para que a ilha não sofresse uma queda no turismo." (p. 37)
Grace é o retrato da garota da porta ao lado. Oriunda de uma família de classe média, estudiosa, bonita e dedicada, estudando medicina e com um futuro brilhante pela frente até o momento fatídico que resultou na morte de Julian. Ao mesmo tempo, existe uma ambiguidade em sua personalidade, uma sensação de que esconde algo sombrio.
O enredo é fantástico. Há uma construção gradual, onde o leitor tem que ir juntando alguns detalhes, informações que a princípio não tem significado para responder a questão: Grace é culpada ou inocente?
É indiscutível o cuidado que a Faro Editorial possui em suas obras e "Não confie em mim" não foi exceção. Da escolha da capa até os detalhes internos, tudo foi realizado com muito cuidado e carinho.
"Havia algo sedutor em Grace Sebold. E se Sidney conseguia sentir isso nas cartas, tinha certeza de que os telespectadores veriam isso em um documentário." (p. 60)
Para comprar o livro pela Amazon, clique aqui

3 comentários

  1. Além de ser fã do trabalho que a Faro tem com seus livros, acabei conhecendo as letras de Charlie ao ler Deixada Para Trás e foi paixão a primeira letra!
    Maestria inexplicável em jogar o leitor no enredo e com isso, fazer ele sentir as angústias dos personagens e colocar todos como "culpados e inocentes".
    Ainda não puder ler este novo trabalho do autor, mas pretendo fazer isso muito em breve e com isso, mais uma vez, tirar o chapéu!rs
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Nossa, meu tipo de livro.
    Adoro esse suspense, essa coisa da gente poder ficar tentando desvendar se é culpado ou não. Isso faz com que a leitura seja super ágil.
    Gostei muito da resenha! Quero muito ler.

    ResponderExcluir
  3. Olá! Gosto muito dessas histórias que nos fazem ficar em dúvida até as últimas páginas, para descobrir se a pessoa é inocente ou não. Muito curiosa para descobrir se Grace foi a responsável pela morte do namorado, e quais pistas eu vou ter para desvendar esse mistério, com certeza esse é um daqueles livros que não conseguimos largar, enquanto não chegarmos ao fim.

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.