Resenha As filhas do Capitão - Três mulheres, dois mundos, uma cidade - María Dueñas

Sinopse - "Nova York, 1936. A pequena taberna El Capitán é inaugurada na rua Catorze, um dos redutos da colônia espanhola que então reside na cidade. A morte acidental de seu proprietário, o inconsequente Emilio Arenas, força suas indomáveis filhas a tomarem conta do negócio, enquanto nos tribunais é negociado o pagamento de uma promissora indenização. Abatidas e atormentadas pela necessidade urgente de sobrevivência, as temperamentais Victoria, Mona e Luz Arenas irão trilhar seus caminhos entre arranha-céus, compatriotas espanhóis, adversidades e amores, determinadas a transformar um sonho em realidade. De leitura ágil, envolvente e tocante, “As filhas do capitão” acompanha a história dessas três jovens forçadas a atravessar um oceano, se estabelecer em uma deslumbrante cidade e lutar para encontrar seu caminho. Uma homenagem às mulheres que resistem quando os ventos sopram em sentido contrário e a todos os que viveram - e vivem - a aventura, muitas vezes épica e quase sempre incerta, da emigração."
"As filhas do capitão" é uma brilhante ficção espanhola que irá girar ao redor de três irmãs: Victoria, Mona e Luz. O pai das jovens é Emilio Arenas, um homem que pouco desempenhou o seu papel como pai. Na verdade, ele era mais um estranho, pois estava sempre viajando, sempre distante enquanto a sua esposa e as três filhas moravam na Espanha. Emilio estava sempre fazendo bicos, mas era um homem muito atrapalhado e sem bom senso no quesito administração das economias e no bem estar de sua família. E é assim que ele vai parar nos EUA na década de 30 e acaba adquirindo um restaurante falido. A década de 30 é marcada pela grande depressão americana e a economia no país estava bem complicada, o que fez com que Emilio ficasse "preso" no país por não como vender a nova aquisição e levantar dinheiro.
Na Espanha as três irmãs estão passando por sérios problemas também: com o falecimento da avó (sogra de Emilio), elas e sua mãe são despejadas, ficando sem um teto sobre as suas cabeças e sem saber que rumo seguir. Eis que Emilio acredita ter uma ideia genial: endividar-se ainda mais e comprar quatro passagens para trazer para os EUA a família.
A ideia de sair da Espanha para ir morar nos EUA não agrada as jovens, mas diante das poucas opções que elas possuem no momento, acabam mudando-se para lá. Só que a mudança não é nada fácil, há uma grande barreira cultural, a situação financeira do pai é terrível e a tensão no país, por causa da instabilidade financeira, é gigantesca.
"Manhattan foi ficando para trás, com seus milhares de luzes transformados em minúsculas cintilações sobre os retrovisores." (p. 203)
Conforme a sinopse explica, logo após chegarem aos EUA, o pai das protagonistas morre em um terrível acidente e elas se veem envolvidas em um processo para pagar as dívidas do pai enquanto tentam sobreviver em um novo país.
"Aqui cada um cuida de sua vida e ninguém vem com avisos nem com conselhos". (p. 253)
O livro é fantástico! O leitor sente-se dentro da história, sofrendo e lutando com unhas e dentes da mesma forma que Victoria, Mona e Luz. As três irmãs apresentam uma forte conexão e são resilientes. Elas lutam contra todas as adversidades que cruzam seus caminhos. É uma jornada árdua, cansativa e repleta de tristeza, mas também há esperança, camaradagem, amor e força interior.
"Mona, no centro do trio, deu uma cotovelada em cada irmã, e com esse brevíssimo movimento, sem necessidade de nada mais, cúmplices como sempre, as três se entenderam." (p. 25)
Para comprar o livro pela Amazon, acesse: https://amzn.to/2DzkJH8

9 comentários

  1. Mais um livro que traz não somente a luta de três mulheres em uma época tão difícil,mas também traz este elo tão forte que há nitidamente entre elas!!!
    Não conhecia o livro,mas adorei o que li acima, pois pelo que entendi, há também até um fundo histórico no enredo e eu sou fascinada por tudo isso.
    Com certeza, vai para a lista de desejados!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Se fosse só pela sinopse, eu acho que nunca iria ler esse livro. Mas sua resenha me deixou animada, e falando de 3 mulheres lutando pra sobreviver no século passado, se hoje já é complicado, :/

    ResponderExcluir
  3. Carol!
    Acho tão bom quando um livro traz a luta pela sobrevivência e apesar de terem perdido o pai, as irmãs são unidas e acredito que isso dê forças à elas para continuarem sobrevivendo e lutando para liquidar a dívida do pai e se adaptarem a um novo país.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  4. Oi, Carol.
    Ganhei um exemplar desse livro em um evento e estou muito curiosa para conhecer essa história.
    Sua resenha só me atiçou mais!! Rs...
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  5. Oi Carol,
    Não é o meu tipo de livro, confesso que fujo um pouco desse estilo, mas não nego que, vemos como é bem escrito, e que adoro quando uma luta, principalmente feminina é mostrada. Sem dúvidas temos mulheres mais do que fortes nessa história, e todos deveriam ler!
    Se tiver oportunidade, mesmo não mando, darei uma chance.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Não é o meu tipo de livro que é outra praia mas eu tentei ler esse livro assim mesmo e não foi uma boa experiência devo confessar eu esperava outra história por essa sinopse outro contexto e outro desfecho Mas acabou sendo uma leitura mais ou menos sem pé nem cabeça com um final muito previsível

    ResponderExcluir
  7. Olá! O livro parece ser encantador e triste ao mesmo tempo, imagino como vai ser complicado para essas irmãs recomeçarem suas vidas, em um país diferente, em meio a tantas incertezas, muito bacana que elas possam contar uma com a outra para enfrentar essa situação.

    ResponderExcluir
  8. Ola!
    Não conhecia o livro, mas tem uma premissa ótima. A trama do livro me deixa bem curiosa pela jornada dessas garotas e como enfrentar todos os problemas da vida.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  9. Infelizmente as leituras espanholas nunca chamaram minha atenção, não sei o que é, mas parece que sempre falta algo. Isso na minha visão, que sei que tem gente que ama essas leituras. A història é legal, interessante, mas ainda não sei se leria, talvez esteja na hora de quebrar esse bloqueio.

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.