Resenha A Garota Desaparecida - Lisa Gardner

Sinopse - Sete anos atrás, a estudante Flora passou 472 dias vivendo um pesadelo. Após ter sido sequestrada durante as férias de primavera, ela descobriu até onde o ser humano é capaz de ir para sobreviver. Depois de resistir milagrosamente a tamanha tortura, viveu os últimos cinco anos tentando voltar a ter uma vida normal. O amor de sua mãe permanece o mesmo, mas outras coisas mudaram em sua rotina: seu irmão tem medo da pessoa que Flora se tornou, e no quarto dela há uma parede coberta com fotos de outras garotas que nunca voltaram para casa. Quando a detetive D. D. Warren é convocada para a cena de um crime, descobre que Flora está envolvida com outros três suspeitos desde seu retorno à sociedade. Mas a garota desaparece novamente, e D. D se dá conta de que um predador sinistro está a solta e, desta vez, determinado a fazer com que Flora Dane nunca mais escape.
"A Garota Desaparecida" é uma ficção que alterna a narrativa em primeira e terceira pessoa e trata de um assunto muito real e assustador: os horrores que as vítimas passam nas mãos de seus  sequestradores.
"Muito tempo atrás, eu teria dito a você que amava minha mãe. Que ela era minha melhor amiga no mundo inteiro e que, embora fosse interessante ir para a universidade, eu ainda gostava de passar os finais de semana em casa. Muito tempo atrás, eu era esse tipo de garota. Gostava de lugares abertos, de me divertir, era feliz. Agora tem coisas sobre mim que ainda não posso dizer a você. Tem coisas que ainda preciso aprender no caminho." (p. 40)
Flora Dane é uma mulher peculiar. Pouco menos de uma década atrás, a jovem sonhadora saiu de uma cidade pequena e da proteção de sua família para estudar em uma universidade e o destino fez a sua jogada.... Flora foi sequestrada e ficou 472 dias presa em uma caixa, tendo cada instante de seus dias controlados por um homem sádico, que a subjugou fisicamente e mentalmente.
Dessa forma, o leitor é levado a conhecer o passado de Flora através de suas lembranças e é exatamente isso que causa um aperto no coração. Flora é uma sobrevivente, mas ela não vive. Apenas existe. Após o que aconteceu com ela, Flora se tornou obcecada em tentar trazer para casa o máximo de garotas desaparecidas possíveis. E sua última investigação pode custar a própria vida, além de segredos que ela mesma quer manter enterrados.
"Quer uma definição melhor, uma visão mais profunda de mim mesma. Sou uma justiceira? Uma aberração autodestrutiva? Ou uma entusiasta da autodefesa? Talvez eu seja tudo isso. Talvez eu não seja nada disso. Talvez eu seja uma garota que há muito tempo achava que o mundo era um lugar brilhante e feliz. E que agora... sou uma garota que desapareceu anos atrás.  E ficou longe de casa e de si mesma por tempo demais." (p. 62/63)
Os caminhos de Flora e D. D. se cruzam quando um crime é cometido. D. D. está atuando como supervisora e esse novo cargo a incomoda um pouco, pois ela tem dificuldades de abrir mão do controle e deixar a sua equipe realizar o trabalho de campo.
Inicialmente D. D. e sua equipe investigam o desaparecimento de Stacey Summers, uma jovem estudante da Universidade de Boston que some sem deixar vestígios.
"Stacey Summers era uma aluna da Universidade e Boston que tinha desaparecido em agosto. Jovem, bonita, loira, tinha o tipo de sorriso brilhante que rendia fotografias lindas, manchetes garantidas no país inteiro. E o caso chamou a atenção. Infelizmente, três meses depois, a polícia só tinha uma única imagem borrada de vídeo dela sendo arrastada de um bar local por um brutamontes oculto pelas sombras. Só isso. Sem testemunhas. Sem suspeitos. Sem pistas." (p. 24)
Um dos pontos que merece destaque nessa obra da Lisa Gardner é o fato dela ter envolvido a família das vítimas. A autora teve uma sensibilidade ímpar de demonstrar todo o lado emocional, o estresse com a mídia, o medo de não se ter notícias, o medo de receber notícias e o quanto isso desgasta a todos os envolvidos.
"Acho que foi por isso que ele levou o maior baque quando eu voltei para casa e não era mais a jovem de todas aquelas fotos. Eu não sorria. Eu não ria. Eu não ia brincar com na lama ou procurar as raposas. Veja, meu sequestrador também tinha uma missão, que era remover todos os fiapos de humanidade de mim. Me esvaziar, me quebrar, me transformar em um absoluto nada." (p. 39)
A mãe da Flora é uma personagem incrível. Durante todos os dias em que a filha desapareceu, ela fez o impossível para manter a esperança e para tentar trazer a filha de volta.
O mesmo aconteceu com Dr. Samuel Keynes, especialista em vítimas. É possível visualizar o quanto o seu trabalho é árduo e como que o apoio e tratamento psicológico é essencial a longo prazo para as vítimas.
O enredo é muito bem desenvolvido, pois o leitor fica preso ao livro pela forma como a história foi construída. Por um lado, ficamos horrorizados com o que Flora passou, mas não conseguimos parar de ler, pois é fascinante (de um modo meio mórbido) observar os mecanismos que ela desenvolveu ao longo do tempo para sobreviver.
"A verdade é que conheço Stacey Summers. Eu não quero. Não era minha intenção. Mas eu conheço Stacey Summers. Não é necessário um PhD em psicologia para entender que toda vez que vejo sua foto, ou leio uma reportagem, eu estou, na verdade, olhando para mim mesma." (p. 41)
Flora é uma personagem intrigante. Por conta do seu jeito introspectivo, suas narrativas são quase que longos monólogos descritivos, mas envolventes. Sua batalha interna e tentativa de ser "normal" é dolorosa de se ler, pois a protagonista sabe o quanto magoa sua mãe e irmão, mas ao mesmo tempo, não consegue enxergar o mundo de uma forma mais branda. Ela vê o perigo em todos os lugares.
D. D. está um pouco mais humanizada nesse livro. Seu conflito em conciliar a vida familiar e a profissional fica mais exposto e suas inseguranças também. Isso deu uma certa vulnerabilidade à protagonista da série.
"A Garota Desaparecida" é um thriller que irá mexer com o leitor. É uma história crua, que demonstra a vulnerabilidade e ao mesmo tempo o empoderamento das vítimas. É uma leitura inesquecível.
"Não tem muito o que fazer, dia após dia trancada em um baú do tamanho de um caixão. De fato, só tem uma coisa que vale a pena imaginar, perseguir, contemplar minuto após minuto, terrível, hora após hora. Um pensamento a mantém seguindo adiante. Um foco que lhe dá força. Você encontrará esse foco. Você irá aperfeiçoá-lo. E então, se for minimamente parecida comigo, nunca o abandonará. Vingança." (p. 09)
* LIVRO RECEBIDO EM PARCERIA COM A EDITORA

Conforme eu lia esse livro fiquei imaginando sua adaptação para as telinhas e montei o meu elenco dos sonhos:


Maisie Willians como Flora Dane

Rachel Weiz como D. D.

Idris Elba como Dr. Samuel Keynes

Sandra Bullock como Rosa Dane
Para comprar o livro pela Amazon, acesse: https://amzn.to/2YWneKX

4 comentários

  1. Oi, Carol.
    Eu também adorei esse livro! Foi viciante acompanhar essa trama!
    Nossa, gostei bastante desse elenco que você imaginou! Não tem como não pensar no Idris Elba, né?! Rs...
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Camila, tudo bem?
      O livro é muito bom mesmo! Assim que eu comecei a ler sobre o Dr. Samuel, foi no Idris em que eu pensei rs.
      Beijos

      Excluir
  2. Carol!
    Os livros da autora são sempre cativntes.
    E gosto quando o lado emocional e psicológico é mosrtado em detalhes e sob a ótica de várias personagens, podemos completar o quadro geral.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rudy, tudo bem?
      Concordo com você, ainda mais quando o tema é tão verídico e triste.
      Beijos

      Excluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.