Resenha Eu sei por que o pássaro canta na gaiola - Maya Angelou

Sinopse - RACISMO. ABUSO. LIBERTAÇÃO. A vida de Marguerite Ann Johnson foi marcada por essas três palavras. A garota negra, criada no sul por sua avó paterna, carregou consigo um enorme fardo que foi aliviado apenas pela literatura e por tudo aquilo que ela pôde lhe trazer: conforto através das palavras. Dessa forma, Maya, como era carinhosamente chamada, escreve para exibir sua voz e libertar-se das grades que foram colocadas em sua vida. As lembranças dolorosas e as descobertas de Angelou estão contidas e eternizadas nas páginas desta obra densa e necessária, dando voz aos jovens que um dia foram, assim como ela, fadados a uma vida dura e cheia de preconceitos. Com uma escrita poética e poderosa, a obra toca, emociona e transforma profundamente o espírito e o pensamento de quem a lê.
"Eu sei por que o pássaro canta na gaiola" é uma biografia extraordinária da Maya Angelou. Focando nos primeiros anos de sua vida até a adolescência.
Narrado em primeira pessoa, acompanhamos Marguerite e seu irmão Bailey aos três e quatro anos, respectivamente, mudando-se para Stamps, no Arkansas, para a casa de sua avó paterna, a sra. Annie Henderson. Stamps é uma cidade pequena e os moradores são fiéis calorosos de suas igrejas. A vida com a avó e o tio é simples, mas traz paz e contentamento à jovem Marguerite.
Algum tempo depois, o pai de Marguerite e Bailey retorna à Stamps, para buscar os filhos e levá-los a mãe, onde irão passar um tempo. É lá que a garota irá receber o primeiro de inúmeros golpes: ela é violentada pelo namorado da mãe, o sr. Freeman, com apenas sete anos de idade.
“A mulher negra é agredida nos anos jovens por todas essas forças comuns da natureza ao mesmo tempo em que fica presa no fogo cruzado triplo do preconceito masculino, do ódio branco ideológico e da falta de poder Negro.”
Depois disso, a luz de Marguerite se apaga por um longo tempo e a garotinha entra em uma introspecção profunda, sendo resgatada pelo seu retorno à Stamps e a Sra Bertha Flowers, que a faz mergulhar no fantástico mundo dos livros.
Os anos passam e os acontecimentos na pequena cidade fazem Marguerite e Bailey começarem a questionar a diferente de tratamento por conta da cor de suas peles.
Conforme os anos passam e os irmãos crescem, eles voltam a morar com a mãe, que agora encontra-se casada. Estar em São Francisco é uma lufada de ar fresco, pois a cidade é mais liberal do que eles estão acostumados. 
Marguerite narra a dinâmica da mãe com o irmão, onde ela própria menciona existir uma pitada de Complexo de Édipo. Temos também a relação da jovem com o pai, um homem inquieto que parece se divertir com os próprios atritos que traz e tenta demonstrar algo que não é para o mundo, sempre exagerando em suas proezas.
Não tem como ler a história de Maya Angelou e não se emocionar com sua força, sua resiliência e seu espírito poderoso. Uma mulher que trouxe sua infância sem adereços ou enfeites, demonstrando uma parte da triste história mundial.
"Se crescer é doloroso para uma garota negra sulista, ter noção de seu deslocamento é o enferrujado da lâmina que ameaça a garganta. É um insulto desnecessário."
Para comprar o livro pela Amazon, acesse: https://amzn.to/2JeMy9T 
*LIVRO RECEBIDO EM PARCERIA COM A EDITORA ASTRAL CULTURAL

4 comentários

  1. Carol!
    Tão bom podermos nos deparar com um livro que traz uma biografia bem escrita, embora com uma história de vida dolorosa e árdua como a de Maya.
    As difíceis e algumas agradáveis relações familiares que resultou em quem ela foi, fantástico.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  2. Olá! Já estava com esse livro na minha lista de desejados, apenas pela capa e sinopse, mas depois de ler essa resenha, tenho certeza que vou ter que ler o livro o mais breve possível, uma história dolorosa e sensível, que infelizmente retrata uma realidade terrível da nossa sociedade, mas que também demonstra uma força de vontade e coragem imensa da autora.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Carol.
    Essa parece ser uma história linda, mas não é do tipo que me atrai. Não sou de ler biografias e também não estou me animando a ler sobre temas tão pesados e dolorosos!! Sabe quando a gente tá naquela fase de só querer final feliz?! Ando assim!!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Um livro com uma historia encantadora, não sou muito de ler biografia mas algumas que ando lendo resenha chegar até me agradar e me dar um animo para ler..Não sei se leria esse livro mas talvez um dia.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos e/ou preconceituosos não serão aceitos.

Obrigado por visitar e comentar.